Category Archives: Saúde Materna e Infantil

História 165 – A ARMADILHA



Quando a Zaina, seronegativa, tendo tido uma noite escaldante de amor com o Gito, um mulherengo Intxunável, como despedida por ela ter que voltar para Inhambane, sua terra natal, uma vez terminado o curso que frequentavam no IPOFEH, descobre que os preservativos por eles usados tinham sido propositadamente furados pelo namorado que via na gravidez uma forma de perpetuar a relação, terá que se conter para entender os motivos por detrás de tal atitude por parte do amor da sua vida e encontrar ajuda para saber as consequências da exposição a que foi sujeita.


História 161 – DIPLOMA AMEAÇADO



Quando a Carla, uma Intxunável, no fim do curso de enfermagem, precisando terminar o trabalho de tese, que define como amostra a vacinação de todas as meninas de Nguva com a vacina HPV, vê os seus planos mudados, devido ao roubo das chaves do depósito onde as vacinas estão conservadas no refrigerador, ato protagonizado pelos meninos de Nguva que alegam também precisar da vacina HPV para a sua saúde sexual e reprodutiva, terá que ser cautelosa para convencer os meninos do porquê de as vacinas serem só para as meninas e não para os rapazes e assim persuadi-los a devolver as chaves roubadas, por forma a vacinar as raparigas e cumprir com o seu objetivo.


História 158 – O FURACÃO



Quando o Jasiri Nyangumi, líder da povoação de Nyangumi, tendo levado a sua nora com fortes dores de cabeça à Unidade Sanitária de Nguva para observação, ao procurar saber do estado de saúde dela, é confrontado com a surpreendente notícia do nascimento prematuro do seu neto e da situação delicada em que o bebé se encontra, terá que mobilizar todos os esforços no sentido de descobrir as causas do infortúnio que se abateu sobre a sua família e encontrar a fórmula para salvar a vida da mãe e do bebé.


História 154 – PERIGO A SOLTA



Quando o Jasiri Nyangumi, homem íntegro e dono de princípios éticos e morais, em meio à cerimónia de consagração de bebés, se nega a o seu neto para a bênção dos ancestrais, porque o ancião do padecente padece de uma doença que o faz suar e tosir gravemente, terá que explicar que a atitude estranha dele foi para defender o neto, ao mesmo tempo convencer ou ancião a ir à unidade sanitária.


Pequeno Intxunável Em Apuros



Quando os Intxunáveis​​​acompanham alunos do Lar Portem-se-bem, um cestinho com um recém-nascido recém-nascido do filho recém-nascido, que a mãe implícita uma criança, por ela já não conta o bebê e recear algo grave com o bebê, terá que usar suas crianças para garantir a segurança do seu bebê, o seu espírito chegar à mãe da
criança e ajudar-la a-la no bebê que a criança-se do seu bebê.


História 141 – Rotina salva vidas



Quando o Manuel António, curandeiro famoso, que se aliou ao MISAU na vacinação das crianças, ao começar a exigir o cartão de vacinação das crianças como condição para apanharem as suas vacinas poderosas que os protegem contra o veneno de bichos perigosos, vê-se confrontado pelos espíritos que ameaçam retirar-lhe os poderes, por este estar a colocar a tradição dos Nguvas em segundo plano, terá que convencer os espíritos que a vida é uma fusão das leis dos homens e da natureza, da tradição e da modernidade.


História 140 – Família barulhenta



Quando o Sérgio, pescador, amante da tranquilidade e da união familiar, é chamado a acudir mais uma briga entre a sua mãe Filomena e a Rabia, sua namorada e mãe do seu filho, ambas com filhos menores, por Rabia acreditar que as constantes diarreias do seu filho são causados pelos maus tratos da Filomena, que alimenta o filho deles com restos de comida de Ankanu, filho da Filomena, terá que encontrar formas de acabar com a briga entre as duas e juntá-las na procura das reais causas da diarreia do menino e da tão desejada cura.


História 138 – O boato



Quando o APE Jamal convoca uma reunião para sensibilizar as raparigas a aderirem à vacinação contra o Cancro do Colo do Útero e é surpreendido por uma manifestação das mães que receberam mensagens indicando que a vacina visa inutilizar o útero das meninas, terá de usar o seu prestígio no meio da comunidade de Nguva, para ganhar confiança das mulheres, acalmá-las e, finalmente, explicar os equívocos existentes em relação à vacina.


História 131 – Um fofoqueiro na área



Quando a Dona Joana, que teve o filho em contacto com um doente de tuberculose, recebe uma intimação para se apresentar na acção social para discutir a guarda do seu único filho, por negar o tratamento ao menino, vem a descobrir que o processo foi iniciado pelo seu pretendente que, movido por sentimento de vingança por ter sido rejeitado, acusa-a de negligência e descuido no tratamento da possível doença do seu filho, terá que encontrar calma suficiente para reunir as provas que contrariam os pronunciamentos do homem, provar a sua inocência e focar-se no tratamento do filho.


História 124 – A dona Joana



Quando Olímpio recebe das mãos de Dona Joana, a dona da Barraca mais famosa de Nguva, uma surpreendente factura pela utilização do seu bar que fica cada vez mais cheio de homens que vêm ouvir as conversas “picantes” de Olímpio sem comprar nada terá que convencer a dona Joana da importância das conversas que ele tem com os amigos para o bem-estar das famílias de Nguva e ajuda-la a encontrar dentro da palestra formas de ampliar o seu negócio.