História 180 – DIFERENTE, MAS IGUAL



Quando Ermelinda, amiga e confidente de longa data de Twinga, mãe zelosa e super protetora, vê a sua melhor amiga virar-lhe as costas após ela, na tentativa de chamar atenção à amiga sobre a saúde do filho com atraso na fala, tratando-o por atrasado mental, terá que reconhecer que falhou na forma
de tratamento que usou e convencer a amiga a buscar ajuda médica para compreender o motivo do atraso na fala do menino.


História 179 – EU SEI QUEM SOU



Quando Xipinho, aluno brilhante e tímido, é constantemente desafiado pelos colegas, que o aterrorizam, chamando-o matreco, a dar um beijo numa rapariga em público, como forma de contrariar os pensamentos erróneos a seu respeito, terá que se apegar ao conhecimento que ele possui de certo e errado e encontrar formas de acabar com as perseguições dos colegas sem com isso pôr em causa os seus princípios.


História 178 – SANGUE VERMELHO



Quando Manuel António, curandeiro famoso, íntegro e parceiro do MISAU, após encarnar os espíritos e recobrar a consciência, toma conhecimento de que durante o transe, o objecto de sacrifício exigido pelos deuses a quem ele deve a vida é, na verdade, uma criança albina, terá que negociar com os
espíritos e mostrar-lhes que a falta de pigmentação não deve ser sinónimo de condenação.


História 177 – ANTES DA HORA



Quando Maidei, mãe zelosa e cuidadora do filho, orgulhosa de ter terminado o calendário de vacinações e convencida de que o filho está imune às doenças, abandona as consultas na unidade sanitária e é surpreendida por uma doença estranha e repentina que leva o filho a ter diarreias, vômitos e, o mais estranho, a comer o reboco das paredes da casa, terá de esquivar-se dos tabus da sociedade e buscar conhecimentos sobre o estranho fenómeno e procurar ajuda para o filho.


História 176 – NÃO É BEM ASSIM



Quando Sara, mãe zelosa e cumpridora das recomendações médicas, conhecida por sua firmeza de pensamento, furiosa e inconformada, decide abandonar as vacinas de rotina na unidade sanitária, por julgar vão todo o seu esforço em cumprir com as vacinações, já que o seu filho acabou tendo sarampo
mesmo tendo tomado uma dose da vacina contra o sarampo, terá que deixar a fúria e frustração de lado, abrir a mente para compreender as reais causas doença e focar-se na cura do filho.


História 175 – EU NÃO SABIA



Quando quando Catija, mãe de Silóvia, adolescente recém resgatada de uma união prematura, tendo o marido preso, por ter participado da união prematura da filha, tentando dividir-se entre o seu novo emprego e os cuidados da sua filha psicologicamente abalada pela trágica união, é confrontada com a
descoberta de uma gravidez inesperada, terá que se organizar melhor, de forma a poder conciliar o seu ganha-pão, as necessidades emocionais da filha e os cuidados que a gestação requer.


História 174 – NÃO DÁ PARA ACEITAR



Quando Silóvia, adolescente grávida, recém-saída de uma união prematura, desejosa de colocar a sua vida em ordem e decidida a voltar à escola, é confrontada com a imposição do ex-marido Shafee, que desgostoso por não poder reaver o dinheiro gasto no casamento, coloca o abandono da escola como condição para ele continuar a sustentar a ela e ao filho, terá que reunir coragem para enfrentá-lo e impor o seu desejo de seguir a sua vida em busca de um futuro risonho.


História 173 – LÁBIOS ENGANOSOS



Quando Carla, enfermeira recém-formada, afecta à unidade sanitária de Nguva, toma conhecimento de que Graça, a quem ela tanto admira por ser bastante influenciadora e por se destacar no seu grupo de amigas pela sua coragem e frontalidade, que dificilmente desiste das causas que abraça, está a criar um grupo antivacinacionista que se socorre da desconfiança pela restrição do grupo alvo, para desacreditar a eficácia da vacina HPV, terá que encontrar argumentos fortes para chamar à razão as raparigas rebeldes e esclarecer os critérios usados para a escolha do grupo alvo, garantindo que a campanha decorra a tempo e sem sobressaltos.


História 172 – BASTA



Quando Amélia, mãe protectora, que sempre tratou a filha deficiente intelectual como uma eterna criança, flagra o seu vizinho adolescente a relatar orgulhoso para os amigos conquistadores baratos as fantasias e aventuras sexuais que tem vivido com a sua filha, terá que aprender a olhar para a filha
como alguém capaz de se relacionar emocional e sexualmente, não obstante a sua deficiência, e encontrar formas de ensiná-la a se proteger em futuros relacionamentos.


História 171 – A OUTRA FACE DA MOEDA



Quando Graça, rapariga inexperiente no que diz respeito à saúde sexual e reprodutiva, insatisfeita com os conselhos que ouve e decidida a provar por A+B que o sexo pode estar além das doenças e gravidez, como tem sido difundido pelos mais velhos, terá que encontrar argumentos fortes para sustentar o seu posicionamento e levar os mais velhos a encarar a sexualidade de forma mais positiva e sem tabus.