História 165 – A ARMADILHA



Quando a Zaina, seronegativa, tendo tido uma noite escaldante de amor com o Gito, um mulherengo Intxunável, como despedida por ela ter que voltar para Inhambane, sua terra natal, uma vez terminado o curso que frequentavam no IPOFEH, descobre que os preservativos por eles usados tinham sido propositadamente furados pelo namorado que via na gravidez uma forma de perpetuar a relação, terá que se conter para entender os motivos por detrás de tal atitude por parte do amor da sua vida e encontrar ajuda para saber as consequências da exposição a que foi sujeita.


História 164 – DECISÃO FINAL



Quando a Sereia Nguva, traumatizada pelas partidas dos Nguvas que, mesmo com latrinas melhoradas em casa, preferem enfrentar os inspetores do cocó para continuarem a defecar na praia, é desafiada pelo APE Jamal, que visitou algumas famílias e mercados e constatou que toda a vila de Nguva se encontrava limpa, a preencher a ficha de candidatura que ditará o reconhecimento de Nguva como uma comunidade LIFECA, terá que conseguir vencer os seus traumas e trabalhar arduamente na fiscalização, para resolver todos os pendentes, de forma a evitar dissabores e submeter a candidatura com segurança.


História 163 – NEGÓCIO FATAL



Quando o Balão, finalista do IPOFEH, homem das boladas que aceitou um emprego em Nguva, oferecido pelo Coronel Luvas, negociador por baixo da mesa, que lhe dá a possibilidade de ficar perto da sua namorada Fifi, toma conhecimento de que o seu “benfeitor” está a recolher os cartões de vacinação das crianças para fins desconhecidos, terá que ser astuto para investigar as reais intenções da recolha dos cartões e arranjar coragem para tomar medidas necessárias para salvaguardar o bem-estar das crianças.


História 162 – DIDINHA NO CIRCO MÁGICO



Quando a Didinha, iletrada, dona da escolinha dos papás, que ficou famosa por ter “txunado” os pais de Nguva a participarem ativamente na educação dos filhos, é desafiada a fazer uma apresentação no famoso Circo Mágico do Zacarias em Jambolane, virado essencialmente para o desenvolvimento da primeira infância, onde estão presentes líderes e personalidades influentes, terá que confiar na sua experiência e usar a oportunidade para captar a atenção da audiência e mostrar a importância da participação dos pais na educação dos filhos.


História 161 – DIPLOMA AMEAÇADO



Quando a Carla, uma Intxunável, no fim do curso de enfermagem, precisando terminar o trabalho de tese, que define como amostra a vacinação de todas as meninas de Nguva com a vacina HPV, vê os seus planos mudados, devido ao roubo das chaves do depósito onde as vacinas estão conservadas no refrigerador, ato protagonizado pelos meninos de Nguva que alegam também precisar da vacina HPV para a sua saúde sexual e reprodutiva, terá que ser cautelosa para convencer os meninos do porquê de as vacinas serem só para as meninas e não para os rapazes e assim persuadi-los a devolver as chaves roubadas, por forma a vacinar as raparigas e cumprir com o seu objetivo.


História 160 – BEBÉ FOFINHO DE NGUVA



Quando a Ermelinda, mãe atenciosa com a alimentação do seu filho menor, desejosa de ganhar, a todo custo, o prémio “bebé fofinho” de Nguva, enfrenta, pela terceira vez consecutiva na final do concurso, a Filomena, sua amiga e adversária, campeã das edições anteriores e conhecedora de receitas extraordinárias de culinária, terá que buscar novas receitas e estabelecer um novo plano de alimentação ativa e responsiva para alcançar os resultados almejados.


História 159 – ALFORRIA



Quando o APE Jamal, activo e conhecido em Nguva como um agente de saúde, durante as visitas de vacinação de raparigas adolescentes contra o HPV, é informado da existência de uma menina com deficiência auditiva que vive cativa e submissa aos caprichos do seu tio materno e que não permite visitas ou a socialização da rapariga, terá que ser corajoso para confrontar o tio de forma a obrigá-lo a libertar a rapariga do cativeiro e denunciá-lo às autoridades competentes.


História 158 – O FURACÃO



Quando o Jasiri Nyangumi, líder da povoação de Nyangumi, tendo levado a sua nora com fortes dores de cabeça à Unidade Sanitária de Nguva para observação, ao procurar saber do estado de saúde dela, é confrontado com a surpreendente notícia do nascimento prematuro do seu neto e da situação delicada em que o bebé se encontra, terá que mobilizar todos os esforços no sentido de descobrir as causas do infortúnio que se abateu sobre a sua família e encontrar a fórmula para salvar a vida da mãe e do bebé.


História 157 – O INDOLENTE



Quando você, suba, cuidadosa e trabalhadora, quer dividir como tarefas com seu esposo Castigo, machista recém-regressado de salam, depois de confiar a este a responsabilidade de levar o filho para a mãe-responsabilidade na Unidade Sanitária , ganhará que o cartão de compromisso e seus dados não foram cumpridos – foram feitos que apurar a unidade para o marido dos fatos .


História 156 – CASA DA TIA TAMPA ANIMA



Quando a Tampa, mãe zelosa, que quer aproveitar as restrições impostas pela nova pandemia, que obriga os Nguvas a ficarem confinados em suas casas, para se aproximar dos filhos, descobre que os seus vizinhos, impressionados pela forma criativa como ela passa o tempo com seus meninos Xipinho e Zezinho, querem transformar a sua casa em parque de diversões, terá que fazer de tudo para garantir a segurança para si e seus filhos e ajudar os seus vizinhos a descobrirem formas criativas para motivar os seus filhos a ficarem em casa, de forma segura e criativa.